as dietas restritivas demais afetam o humor

Entenda por que as dietas restritivas podem acabar com o seu humor

Para emagrecer de modo rápido, muitas pessoas aderem a dietas restritivas demais e começam a perceber que a alimentação desequilibrada está afetando o seu emocional. Se alguma vez você já devorou uma barra de chocolate sozinha depois de um dia ruim, você sabe que humor e comida podem estar relacionados. Vários estudos explicam por que isso acontece, evidenciando a influência de certos alimentos na produção de neurotransmissores, que fazem a comunicação das células em nosso cérebro. Serotonina, dopamina e noradrenalina são as principais substâncias neurotransmissoras envolvidas com o bom humor. A mais conhecida é a serotonina, que depende da ingestão de alimentos ricos em triptofano (um aminoácido) e em carboidratos para ser produzida. A privação desses nutrientes pode causar sérias alterações no humor e na disposição.

Confira algumas dicas para seguir uma alimentação mais saudável sem perder o bom humor. Xô dietas restritivas!

Como emagrecer sem perder o humor?

Quem está lutando contra a balança deve ter como meta a reeducação alimentar, ao invés de dietas restritivas simplesmente. Isso pode ser feito substituindo os alimentos ricos em açúcares e gorduras por outros mais saudáveis. Todavia, o ideal é evitar a todo custo sentir fome. Se reduzir drasticamente o consumo de calorias, o organismo pedirá o tempo todo pela satisfação instantânea produzida pela ingestão de doces, massas e gorduras em excesso – o que certamente irá te deixar de mal humor. Comendo de forma equilibrada, sem restrições muito severas, o corpo vai se acostumando aos poucos com a nova dieta.

Um centro de pesquisa da Grã-Bretanha, o Food and Mood Institute, estuda essa relação existente entre a alimentação e o estado de ânimo. Em um de seus testes, 200 pessoas foram convidadas a seguir uma dieta rica em triptofano e carboidratos, reduzindo a ingestão de bebidas alcoólicas, açúcar, chocolate e cafeína, ao passo que aumentaram significativamente o consumo de peixes, frutas e líquidos. Os resultados foram surpreendentes, mostrando que o plano alimentar orientado aos participantes afetou positivamente no aspecto emocional dessas pessoas. 26% apresentaram melhora na instabilidade emocional, 26% nos ataques de pânico e de ansiedade e 24% melhoraram sintomas de depressão.

Além de comer mais peixes, frutas e beber líquidos, uma dica legal para quem deseja emagrecer sem perder o bom humor é não esperar intervalos muito grandes de tempo entre as refeições. Ficar bastante tempo sem comer reduz os níveis de glicose, o que afeta negativamente o humor. Vale a pena fazer, nessa lógica, 6 pequenas refeições ao longo de dia. Permita-se também pequenas “escapadinhas” alimentares, num jantar entre amigos por exemplo. É importante para manter a saúde da sua vida social e para que você tenha prazer na dieta, ao invés de ser refém dela.

Exercícios físicos ativam a disposição

Fazer algum tipo de atividade física também é uma ação recomendável para quem deseja emagrecer, mas não abre mão do seu bem-estar. Ao se exercitar, são liberadas substâncias no corpo que produzem essa sensação de contentamento e disposição. Tente pelo menos fazer uma caminhada de 30 minutos todos os dias. Essa prática vai te ajudar na perda de peso e também é importante para manter a sua saúde mental.

Quais os alimentos “fontes de alegria”?

Espinafre: é rico em magnésio, que aumenta a produção de energia, além de potássio e vitaminas A, C e do complexo B, que geram tranquilidade ao sistema nervoso.

Aveia e castanhas: são fontes de selênio, combatendo o estresse.

Leite e derivados: contêm triptofano e proporcionam relaxamento muscular.

Peixes: são ricos em ômega 3 e têm propriedades antioxidantes que reduzem os efeitos do estresse diário e previnem danos nas células nervosas. (Confira dicas para o preparo de peixes aqui)

Sementes de girassol e abóbora: excelentes opções de lanches entre as refeições, elas contribuem para a regulação do sono e melhoram o humor, por serem ricas em triptofano.

Banana: rica em carboidratos, que estimulam a serotonina e a vitamina B6, que aumenta a energia.

Ovos: possui vitaminas do complexo B, que garantem o bom humor

Pimenta: a sensação de ardência estimula o cérebro a produzir endorfina, neurotransmissor responsável pela sensação de euforia. A pimenta-de-cheiro, malagueta e vermelha são as melhores para o humor.

A relação da comida com o nosso humor é mais um motivo para manter uma alimentação saudável. Não deixe de se cuidar!

Por que é importante acompanhar a tabela nutricional dos alimentos?
Farinhas Low Carb: saiba como incluí-las na sua dieta

Deixe uma resposta

Your email address will not be published / Required fields are marked *