Importância da tabela nutricional dos alimentos

Por que é importante acompanhar a tabela nutricional dos alimentos?

Você costuma ler a tabela nutricional dos alimentos? Além do prazo de validade, há muitas outras informações relevantes em um rótulo para avaliarmos a qualidade do produtos antes de consumi-los. O que acontece é que nem sempre nos ligamos em tudo o que está descrito nas embalagens, mas deveríamos! Afinal de contas, a tabela nutricional é a principal ajuda ao consumidor na hora de escolher o que é melhor para a sua saúde.

Por meio da tabela é possível saber quais as composições dos ingredientes contidos nos produtos, tais como: quantidade de proteínas, açúcar, carboidrato, fibras, sódio, gordura, entre outros. Segundo o Manual de Orientação às Indústrias de Alimentos da ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a rotulagem nutricional deve ser aplicada a todos os alimentos que são comercializados e que foram embalados na ausência do cliente. 

Confira abaixo algumas dicas do que deve ser verificado na hora de comprar um produto!

Informações essenciais da tabela nutricional

Porção

Sabe quando você vai comer só um ou dois biscoitinhos e acaba devorando o pacote inteiro? A classificação do tamanho da porção de cada alimento a ser ingerida, em gramas, mililitros ou unidades, é fundamental para quem está fazendo dieta. É preciso ficar atento aos tamanhos e números de porções contidas em uma única embalagem para ter uma base da quantidade média do alimento que pode ser consumida de uma maneira saudável, evitando exageros.

Valor energético

É a energia produzida pelo corpo e proveniente de carboidratos, proteínas e gorduras totais. Na tabela nutricional, esse valor é expresso na forma de quilocalorias (kcal) ou quilojoules (KJ). Uma caloria equivale a 4,18 Joules. Vale dizer que em uma dieta saudável não adianta focar apenas nas calorias e deixar de lado o mais importante, o valor nutricional dos alimentos. Optar por um alimento menor e pouco calórico, mas que contém os ingredientes e, consequentemente, a composição errada, não vai te ajudar a emagrecer ou a ter mais saúde.

Carboidratos

A principal função dos carboidratos é fornecer energia às células. Até mesmo para emagrecer as pessoas precisam de energia, por isso ao invés de cortar todo o carboidrato da sua dieta, você pode reduzir a quantidade, optar pelos carbos complexos, compostos em sua maior parte por fibras, e evitar os carbos simples, em geral formados pelos açúcares.

Proteínas

As proteínas são importantes para a manutenção do tecido muscular. Na realidade, atuam na construção e reparação de todas as estruturas do corpo, órgãos e tecidos. Elas também participam na formação de hormônios, enzimas e anticorpos. Fornecem energia ao corpo quando os carboidratos e gorduras são insuficientes.

Gorduras totais

As gorduras totais se referem à soma de todos os tipos de gorduras encontradas no alimento. As gorduras são nossas principais fontes de energia e favorecem a absorção das vitaminas A, D, E e K.

Gordura trans

As gorduras trans são utilizadas na indústria alimentícia para fazer com que os alimentos durem mais tempo e fiquem mais saborosos. Elas devem ser consideradas inimigas das dietas saudáveis, já que não são sintetizadas pelo organismo. Além disso, o consumo desse tipo de gordura pode causar aumento do colesterol ruim (LDL), do triglicérides e ganho de gordura localizada. Ou seja, o melhor a se fazer é não consumir gordura trans nunca.

Gorduras saturadas

São as gorduras de origem animal, geralmente encontradas em leite, queijo e carne. O consumo desse tipo de gordura deve ser moderado, porque, quando consumido em grandes quantidades, pode aumentar o risco de desenvolvimento de doenças cardíacas, além de colesterol e triglicerídeos elevados.

Fibra alimentar

Para o controle da fome, as fibras alimentares podem ser excelentes aliadas. Conhecidas por proporcionar saciedade, elas são boas fontes de energia para as bactérias benéficas do nosso intestino, por isso ajudam no trânsito intestinal.

Sódio

Todo mundo sabe que, se consumido em excesso, o sódio faz mal. A recomendação do Ministério da Saúde é que um adulto consuma até 2 g de sódio por dia, o que seria mais ou menos equivalente a 5 g de sal de cozinha. O cuidado com esse componente não é só para hipertensos, mas para todo mundo! O sódio está presente em ingredientes comuns na culinária, como conservantes, adoçantes, fermentos e realçadores de sabor, então pode estar presente em altas quantidades mesmo nos doces. Apesar de ser um nutriente essencial para o organismo, seu consumo para além da quantidade indicada pode provocar o desenvolvimento da hipertensão arterial, doenças cardiovasculares e doenças renais.

O que significa “%VD” numa tabela nutricional?

A sigla VD significa valores diários, ou seja, as quantidades de nutrientes que as pessoas precisam consumir para ter uma alimentação saudável. Para cada nutriente o valor diário é diferente, porque cada um tem uma função para o organismo e deve ser ingerido em uma quantidade específica.

O que aparece nas tabelas nutricionais é o percentual do VD. Esse percentual se refere ao quanto aquela porção de alimento irá contribuir para atingir a necessidade diária daquele nutriente. Por exemplo, se uma porção de um alimento fornece 30g de carboidrato e a recomendação de carboidrato é de 300g por dia, isso quer dizer que essa porção tem 10%VD.

Os valores diários de referência seguem recomendações da ANVISA e têm como base uma dieta de 2000 calorias, que de acordo com o Ministério da Saúde é o valor de calorias diárias recomendado para um adulto saudável que deseja manter seu peso. São eles:

  • Carboidratos: 300 g
  • Proteínas: 75 g
  • Gorduras totais: 55 g
  • Gorduras saturadas: 22 g
  • Fibra alimentar: 25 g
  • Cálcio: 1000 mg
  • Ferro: 14 mg
  • Sódio: 2400 mg

A verificação da porcentagem dos VDs ajuda a saber se aquela porção do alimento contribui muito ou pouco para que a sua alimentação tenha a quantidade certa de nutrientes.

Outras informações importantes de um rótulo

Ingredientes

No rótulo, os ingredientes devem aparecer em ordem decrescente de acordo com o Manual da ANVISA. Dessa forma, os primeiros ingredientes que aparecem na lista são os que estão em maior quantidade naquele determinado produto e os últimos, aqueles presentes em menor quantidade.

Origem

O nome e o endereço do fabricante devem ser indicados nas embalagens, assim como a cidade e o país de origem. Devem estar identificados a razão social e o número de registro junto à autoridade competente.

Para a sua confiança, as tabelas nutricionais de todos os pratos da FrozenDiet podem ser acessadas em nosso site. Além disso, os alimentos são preparados com temperos naturais,sem a adição de corantes ou conservantes e em porções pensadas para uma dieta equilibrada.

Confira o nosso cardápio! 

Jejum intermitente: mitos e verdades da dieta que está na moda
Entenda por que as dietas restritivas podem acabar com o seu humor

Deixe uma resposta

Your email address will not be published / Required fields are marked *